Publicado em

Colónia do Scott

Em 2017, um pequeno grupo de 5 gatos que viviam no mesmo terreno que o Scott, ou aí se deslocavam em busca de comida, foi esterilizado, evitando assim o nascimento de ninhadas e também os atropelamentos até então frequentes, uma vez que o local fica junto a uma rua muito movimentada.

Deste grupo inicial, apenas 1 gata já não está viva: um tumor de grandes dimensões obrigou à sua eutanásia.

Na ocasião das primeiras esterilizações, não se conseguiu capturar 1 gata que se encontrava em fim de gestação. Esta gata, que mais tarde desapareceria, deu à luz uma ninhada num terreno vizinho; quando deixou de estar disponível comida no local, esses gatos, já em idade fértil, passaram a ir comer ao terreno do Scott, onde dispunham de alimentação e abrigo. Uma gata deu à luz 4 bebés (2 machos e 2 fêmeas) em abril/maio de 2019.

Outras três terão dado à luz noutro local, mas desconhece-se o destino das ninhadas. Uma destas gatas, embora já tenha sido avistada em ocasiões muito pontuais, tem um comportamento tão esquivo e errante, que continua ainda hoje por esterilizar. É a excepção, numa colónia constituída atualmente por cerca de 12 gatos, todos esterilizados, com abrigo e comida disponíveis. Da mãe desta gata, que escapou à esterilização em 2017, resultaram nascimentos que originaram o crescimento da colónia para mais do dobro! E, chegados a 2020, a tendência manter-se-á a menos que a sua filha seja esterilizada e todos os que entretanto dela nascerem, se não puder ser evitado.