A história da Franguinha começa assim, a 28 de junho: “Ò professora! Ò professora! Está ali um gatinho ferido!” A partir daqui, reuniu-se um grupo de adultos e crianças, na tarefa de recolher a cria em questão. Rapidamente, chegámos ao local e encontrámos um gato petrificado de pânico, junto aos degraus de um prédio. Quando com cuidado, por receio de estar magoado, lhe tocámos, não ofereceu resistência e percebemos que tinha urinado e defecado, muito provavelmente por medo. No mesmo dia, as crianças levaram a cabo a tarefa de espalhar cartazes pelo Bairro da Biquinha (local onde foi encontrado), dado que poderia ter sido um daqueles casos em que o gato tem acesso à rua ou caiu de uma janela. Como é habitual, todos os animais resgatados seguem diretamente para a clínica veterinária.

Ali ficou em observação alguns dias e foi possível perceber que não tinha microchip, que era uma fêmea juvenil, com cerca de 1 ano de idade e que não estava castrada. No entanto, decidimos acolhê-la por evidenciar sinais que nos fizeram suspeitar tratar-se de uma gata de casa: o pêlo estava limpo e apresentava-se com boa condição física. À data, podemos informar que ninguém a reclamou, que foi entretanto esterilizada e desparasitada. É um gata senhora da sua vontade, ou seja, indica bem os limites da sua paciência, é meiga, gosta de companhia mas é ela quem a define, como e quando. Gosta de se enroscar em nós, ronrona e dá imensas turrinhas e também gosta de colo, mas não gosta de ser apertada. Tolera gatos e cães.

Contacte: geral@causasdecaudas.org ou 911792735

Lizzie Franguinha p/adoção