Porque devo colocar o microchip ?

Todos os anos, milhares de animais desaparecem de suas casas,das suas famílias. Ao mínimo descuido – uma porta, portão ou janela entreabertas – o seu animal pode desaparecer. Em inúmeras situações a identificação electrónica tem feito com que os donos encontrem os seus animais.

O que é a Identificação electrónica?

A identificação electrónica consiste na aplicação de um microchip, capaz de ligar os dados do detentor do animal à base de dados. A identificação pode ser feita em todas as espécies animais e só pode ser efectuada por Médicos Veterinários. É aplicável à maioria das espécies como cães, gatos, aves, répteis e animais exóticos. Esta identificação é feita através da aplicação de um microchip.

O que é, como funciona o microchip e que dados armazena?

O microchip é uma pequena cápsula electrónica do tamanho de um grão de arroz que possui um código de barras individual, único e permanente. É colocado na face lateral esquerda do pescoço e que é detectável através de um aparelho de leitura próprio.

Tecnicamente o microchip identifica o animal através de um número com 15 dígitos, um formato padrão, usado em todo o mundo. Os dados do proprietário e do animal ficam associados ao número correspondente do microchip e são armazenados numa base de dados.

Em Portugal existem duas bases de dados: a SIRA (Sistema de Identificação e Recuperação (SIRA) gerido pelo Sindicato dos Médicos Veterinários) e a SICAFE (Sistema de Identificação de Caninos e Felinos – gerido pela Direcção-Geral de Veterinária). É através destas bases de dados que os dados do dono e do animal podem ser encontrados. Para tal basta recorrer a um centro veterinário que dispõe de um leitor de microchip e de acesso às respetivas bases de dados.

A nível europeu a EuroPetNet reúne várias associações nacionais e locais com bases de dados onde são registadas as informações do proprietário e do animal, permitindo assim, a pesquisa por um animal de forma global.

O que me deverá ser dado no processo de inscrição e identificação do animal?

Depois de identificado o animal, o Médico Veterinário deve preencher a inscrição, via Sistema Online onde pode imprimir um comprovativo para entregar ao detentor, ou através de boletins manuais quadriplicados, entregando o original e um duplicado ao detentor e remetendo o outro duplicado para a base de dados.

O micro-chip é obrigatório?

Neste momento é obrigatória a identificação com microchip exclusivamente para os canídeos, nascidos depois de Julho de 2008, que devem ser identificados a partir dos 3 meses.

Microchip nos Gatos

Apesar da legislação atual não obrigar à identificação de gatos com o microchip aconselhamos a fazê-lo logo que possível. O microchip é a solução segura e eficaz no caso do seu animal de companhia se perder.

Quais as vantagens do micro-chip?

A identificação electrónica de animais de companhia assume um papel extremamente importante no controlo de questões sanitárias, jurídicas e humanitárias:

  • Permite a recuperação mais rápida do animal em caso de perda;
  • É um comprovativo de propriedade em caso de roubo;
  • Facilita o trabalho dos criadores evitando confusões de ninhadas;
  • Controla a utilização e comércio dos pequenos animais;
  • Permite a contagem estatística do número, espécie e raças de animais em Portugal;
  • Diminui com especial importância o grave problema que é o abandono dos animais.

O que devo fazer em caso de furto ou perda do meu animal?

Contacte os Hospitais Veterinários ou as clínicas veterinárias da zona e forneça a descrição pormenorizada do animal e número do microchip.

Contacte as bases de dados existentes em Portugal:

SICAFE – 21 343 06 61

SIRA – 21 323 97 63

 Para qualquer esclarecimento adicional contacte o seu Médico Veterinário.

 

Microchip