Imaginem que estão a passar por dias de stress, correria e cansaço, que têm dificuldades em dormir, que pensam que já não têm mais força e que é no trabalho que têm algum sossego (imaginem só!) e vocês vão na rua distraídos/as a pensar em tudo isto e muito mais quando, de repente, do nada, ouvem aquele som que vos faz parar, aquele som que ao mesmo tempo vos faz pensar em simultâneo “oh não, outra vez” e “onde é que ele está?”. Neste momento, enchem-se de coragem, respiram fundo, iniciam o esquema mental de quando, como, e o que precisam para chegar àquele ser que mia cada vez mais baixo, que vai perdendo energia, à medida que o tempo passa. Tudo isto acontece, normalmente, num curto espaço de tempo gastando assim uma quantidade de energia física e emocional que é instantaneamente recuperada quando lhe conseguem chegar.

Neste caso, chegámos à Ula que estava dentro do capot de um carro estacionado no parque do trabalho de uma das voluntárias da CdC.

Pensamos que a Ula não precisa de grande descrição, é uma cria com cerca de 2 meses, cuja pelagem é vulgarmente conhecida como tartaruga e cujo temperamento será facilmente moldável por quem a adotar.

Atualização Outubro 2018

A Ula, chama-se agora Minie, foi adotada no dia 03.10 pela família que em junho já tinha adotado o Benny da ninhada ABBA.

Ula